svg

We build your dream

    Silvana Oliveira

    / 30 de agosto de 2017

    Senhores, bom dia!
    No ano de 2004 financiei junto à CEF meu apartamento na cidade de São Bernardo do Campo. Das 204 prestações contratadas fiz a quitação de 99 parcelas.
    Por motivos financeiros, deixei de pagar as seguintes, inclusive acumulando débitos de condomínio e IPTU.
    Diante minha inadimplência, meu imóvel foi retomado pela CEF e colocado em leilão, mas não fui informada sobre as datas oficiais dos mesmos nem do andamento do processo de venda.
    Soube há alguns dias, por contato de uma pessoa que se apresentou como corretora da CEF, que ele foi vendido através de venda direta e que o comprador já está em posse da nova escritura.
    Oficialmente ainda não fui notificada, mas o comprador está me pressionando com ameaças (via whatsApp e ligações telefônicas) para que eu desocupe o imóvel imediatamente e exigindo que eu pague condomínio e aluguel durante a minha permanência.
    Devido a minha situação financeira (fui à falência e estou desempregada), não tenho condições de sair do imóvel que é minha única moradia e do meu filho (estudante). Não possuo qualquer outro bem ou renda atualmente.
    Conforme informado pela tal corretora, o valor da venda foi bastante superior ao que eu ainda devia para a CEF (já quitei praticamente 50% do financiamento) e a soma dos débitos com condomínios e IPTU que estavam atrasados , porém muito abaixo do valor de mercado (além do valor financiado em 2004, fiz diversas benfeitorias).
    Diante do exposto gostaria de saber quais seriam os meus direitos, se há como reverter a venda, como devo agir sobre as ameaças feitas pelo comprador ou se eu teria algum tipo de ressarcimento monetário pela CEF?