svg

Todda - Consultoria Imobiliária Integrada.

    sidinei

    / 25 de outubro de 2018

    Bom dia Dr. Robson. No dia 25 de abril deste ano arrematei uma casa em leilão judicial, porém, até o momento a juíza não emitiu a carta de arrematação. Há quase dois meses conseguiram intimar o proprietário e ele pediu impugnação a arrematação, alegando que não foi intimado sobre o leilão e que quem assinou a intimação foi sua mãe e não ele. O exequente alegou no autos e executado não cumpriu com suas obrigações e que por esse motivo a justiça teria que indeferir seu pedido de impugnação. Alegou ainda que eu, como arrematante, assinei no dia 14/06/2018 um Termo de Alienação Particular (CPC, art. 685, $ 2°) que por esse motivo deveria dar a arrematação como feito, já que o pedido de impugnação foi feito somente um mês depois (13/07/2018). Diante disso, pergunto: Esse termo que assinei me dá o direito a algo? A juíza pode anular o leilão mesmo com o pedido de indeferimento do exequente? Quais os próximos passos agora. A juíza já vai dar o parecer final dela ou vai ter mais manifestações? Devo contratar um advogado?